Total de visualizações de página

domingo, 20 de março de 2011

A menina virtual.






Hoje a Roberta que se tornou uma amiga virtual desde que leu o livro, deixou um comentário no texto anterior que me fez pensar bastante
Uma coisa que me surpreendeu ,quando as pessoas vinhas falar sobre o livro comigo ,é que muitas delas nem tinha usado drogas, mas se identificavam com os sentimentos. Quem nunca sentiu medo,abandono,descaso ou desamparo?
Quem nunca ficou sem saber o que fazer,quem nunca achou que seria engolido pelos problemas que pareciam ter o tamanho de um hipopótamo gigante caindo nas nossas cabeças?

“Ana Karina, eu preciso parar de ter medo de viver , de me esconder em relacionamentos com caras problematicos que me deixam estagnada, na realidade não passa de uma desculpa para eu continuar estagnada...”

Os sentimentos...

São os sentimentos que nos tornam tão iguais mesmo quando somos absolutamente diferentes. Os sentimentos nos unem ou nos afastam ,nos fazem ver que não estamos sozinhos ,que não é um privilegio nosso meter os pés pelas mãos rs.
E como não sou diferente de ninguém (mesmo fazendo de conta que sou) rs me identifiquei com algumas coisas que a Roberta me escreveu.

“ tenho pavor de conhecer uma pessoa bakana e ser rejeitada , alias rejeição é um grande grilo que tenho e muitas vezes não passa de coisas da minha cabeça”


Nunca gostei de rejeição, por isso sempre mantive uma distância segura desse tipo de situação, olhava e se achava que existia uma mínima possibilidade de isso acontecer eu rejeitava antes.


É isso.

Sempre rejeitei antes talvez pelo mesmo medo que a Roberta falou. Imagina se eu conheço alguém e me apaixono ?
Ou pior, imagina se da certo?

Talvez eu tenha buscado tantas relações que eu já sabia que não tinham a menor chance de dar certo, ou que eu não corria risco de me envolver de verdade por puro medo.

Sou muito boa para lidar com o caos, fiz isso à vida toda e sai viva e inteira do outro lado. Mas não aprendi a lidar com coisas simples ,com a vida em paz .Na verdade achei que não saberia lidar com a “paz”,mas sei , as vezes sei rs.

Lembro quando me separei do Xu e fui morar sozinha com as meninas. Olhava a casa ,olhava para elas e me perguntava quem iria tomar conta de nós?
Quem iria tomar conta de tudo?

Dei conta, dei e continuo dando conta de muitas coisas que achava ser impensável. Claro as vezes morro de medo e são nessas horas que faço mesmo .Faço só porque é da minha natureza me superar ou porque não tem outro jeito rsrsrs .

A vida às vezes assusta. Ficar parada em um lugar horrível, mas que já conhecemos pode parecer à saída mais confortável. Mas certamente não é a saída mais feliz.
Quando sabemos que temos um problema ou um padrão repetido, já temos meio caminho andado. Isso porque temos a escolha de fazer diferente sempre.
Mudar é uma escolha, ser feliz é uma escolha, arriscar da frio na barriga, mas pode valer a pena e continuar errando também é uma escolha. Mas quanto se perde por isso?

Se não estamos ganhando já estamos perdendo.


“por isso que adoro ler o que voce escreve , pois seus textos me passam uma sensação de que podemos tudo e é exatamente isso que voce sempre diz podemos tudo ,podemos realizar desejos”


Roberta aprendi a duras penas outras vezes nem tão duras assim rs, que tudo é possível mesmo. Cada decisão que tomamos nesse momento pode fazer toda a diferença .Aprendi que podemos errar algumas vezes mas que podemos tentar outra vez.Não temos a obrigação de acertar sempre ,mas temos a responsabilidade de fazer o nosso melhor



Nossa felicidade e o rumo que vamos dar as nossas vidas estão sempre em nossas mãos, e podemos reescrever nossas historias a qualquer hora. Se em algum momento colocamos a responsabilidade pela nossa felicidade nas mãos de outras pessoas , podemos parar tudo e pegar as rédeas das nossas vidas e dar a ela a direção que acharmos que vai nos levar para um caminho mais próximo de onde queremos chegar .
Eu demorei ,mas descobri que vim ao mundo para ser feliz e tento ,tento e continuo tentando sempre. E quando não da para ser feliz o tempo todo ,eu lembro que tudo passa e que posso escolher novos caminhos .
Isso é uma decisão e só nós podemos fazer isso. Então menina virtual, pega sua vida faz com ela o melhor que você puder ou conseguir. Deseje ,sonhe e viva por que essa viagem é curta e não podemos desperdiçar nem um segundo dela .

PS Claro que o Ronaldo me ajuda a fazer coisas que eu ainda não sei, provavelmente por pura preguiça rs

6 comentários:

  1. É ISSO AÍ
    ESQUECI HÁ MUITO TEMPO O QUE É EXATAMENTE "ASSUMIR RISCOS" ,HOJE EU SEI QUE ASSUMIR RISCOS É TENTAR ,EXPERIMENTAR,, FAZER . SE EU NÃO AGIR NÃO VOU SABER NUNCA SE VAI SER LEGAL OU NÃO!E É VIVENDO E APRENDENDO!!!!!!por isso que tenho que começar a viver agoraaaa!!!!!!!!!
    adorei o texto!!!!!!!



    roberta

    ResponderExcluir
  2. Também adorei o texto. A real é, que tudo que a Ana Karina escreve neste blog, em algum momento serve como um "chacoalha" em nossas vidas!

    ResponderExcluir
  3. A felicidade vem de dentro..arriscar é de fora.
    E precisamos??
    É o 'deixa rolar"..o viver p/acontecer.
    Quando sabemos no íntimo que tudoo, tudo sempre pode dar certo, pq até o "errado" é o certo p/aquele momento!!!
    É isso..o mundo é redondoooooooo. Graças a Deus rsrs

    ResponderExcluir
  4. constancia falou tudo!
    bjs roberta

    ResponderExcluir
  5. O que dizer de Ana Karina?
    O que parece óbvio.
    Me apaixonei...
    Mas há algo de óbvio na paixão?
    obviamente que não.
    Existe sim!
    Transgredi a razão...
    Isso me parece o amor?!
    E se por acaso for algum crime...
    Quero a pena máxima...
    Cumprida integralmente em liberdade...
    E a dois.
    Como voce diz: "O mundo é bipolar"...

    ResponderExcluir
  6. Ana Karina ,eu li o seu livro .Voce e guerreira ,parabens venceu uma grande batalha .Sempre leio os seus textos e acho o maior barato,vc tem um otimo senso de humor eu me divirto.Temos uma coisa em comum Bali,vou sempre a Bali pois moro na asia,e o meu segundo lugar favorito no mundo! Bom, continue guerreira e original !um abraco Mara.

    ResponderExcluir