Total de visualizações de página

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Entre o Marlboro e o Bagavaghita




Há algum tempo venho pensando (eu disse só pensando) em parar de fumar
É incrível, mas não existe clínica só para isso e muito menos SPA.
Todo mundo faz tanto drama com o cigarro, inventam leis para tornarem a vida dos fumantes insuportáveis, mas ninguém inventa uma clínica para nos ajudar?
Então é isso temos que ter a tal força de vontade e pronto?
Será que alguém sabe o que é uma pessoa em plena crise de abstinência?
Todas as vezes que ameaço fazer isso minhas filhas dizem que vão morar com o pai
Já pensei nisso até como forma de castigo, muito melhor que cortar computador ou mesada.
Elas aprontam e eu digo: Se isso acontecer outra vez paro de fumar.
Sempre funciona.
Mas como ando incomodada com o cheiro e com a pele (meu pulmão vai bem obrigada) fiquei tentando imaginar uma forma de fazer isso. Tentando enlouquecer o mínimo possível e evitando que as crianças fujam de casa.
Até o Ronaldo quando me escuta falar que vou parar, sempre me lembra que quando veio trabalhar comigo eu havia parado por 2 dias e que por muito pouco ele não pensou em largar o emprego.
Foi ai que tive a brilhante idéia de fazer um retiro, literalmente me retirar do convívio social.
Há anos adoro ir ao templo Hare Krishna, estranhamente quando estou lá não sinto vontade de fumar (não muita).
Recentemente descobri um templo perto da minha casa, tem um restaurante incrível.
Eu confesso, vou ao templo por que amo a comida e adoro dançar e a última vez que fui à igreja católica, isso tem uma semana, o mesmo dia em que saí para uma noitada com meu irmão que terminou no dia seguinte, fui só por que queria beber água benta (No meu caso achei melhor beber), de qualquer forma eu vou, isso é o que importa. Quem sabe de alguma forma mágica não acabo virando uma pessoa muito espiritualizada?
Fui aos poucos, fiquei amiga do dono do restaurante, um devoto gente boa e a mulher dele estranhamente foi com a minha cara.
Eu estava indo bem
Falei que gostaria de ficar uma semana por lá que queria entender melhor o Bagavaghita e superficialmente falei do cigarro rsrsrs
Tudo ia bem, ele disse que ia falar com o responsável e me daria à resposta na outra semana.
Fiquei um pouco irritada, compro nas melhores lojas do Rio (todo mundo me deixa fumar lá) vou aos melhores restaurantes (alguns até me deixam fumar) e para ficar uma semana em um templo eu teria que esperar para ser aprovada?
Ok devia ser algum tipo de “teste” de fé.

No dia seguinte voltei ao templo só para dar um empurrãozinho, afinal a fé move montanhas, mas temos que estar lá com nossa pazinha rsrsrsr.
Ele estava bem empolgado, disse que tinha certeza de que não haveria problema e que provavelmente na próxima semana eu já poderia levar meu “colchonete”.
Ei ele disse colchonete?
Disse e não ficou por ai não, continuou falando sobre a rotina do templo.
Eu deveria acordar as 4:30hs da manha começar a meditar, depois, alimentar as estátuas, talvez um banho (na estátua claro), as 8:00hs o café da manha seria servido, provavelmente preparado por mim.
Hora de dormir, 20:00hs, sem TV, sem computador e sem contato com o mundo exterior.
Claro que não perdi a pose enquanto ele falava, balançava a cabeça concordando enquanto pensava: Ele acha mesmo que em meia hora não coloco esse bando de devotos para fazerem tudo isso para mim?
Será que ele não sabe que minha especialidade é quebrar regras?
Fato que eu ia levar o celular e com toda essa pressão provavelmente um maço de Marlboro também.
Eu só queria parar de fumar, na verdade nem queria tanto assim foi apensa uma idéia que passou pela minha cabeça.
Não queria virar Budha
Bom a semana passou fumei muito nesse período, afinal meus dias podiam estar contados rsrs.
Uma coisa me incomodava, será que eles iriam fazer um levantamento da minha ficha?
Como eu já disse, sempre gostei de templos e há alguns anos eu freqüentava o do Leblon (isso realmente tem muitos anos) eu ia com a Ana minha amiga, aprontamos “algumas coisas” por lá mas os caras são legais. Algum tempo depois fui novamente recebida e tudo esquecido.
Maaaaas como eu sempre consigo uma forma de me encrencar, acabei digamos tendo um pequeno caso com o presidente do templo, nada sério, nada de mais, eu nem estava apaixonada só fiquei curiosa sobre a coisa do sexo tântrico.
Bom o sexo tântrico não tem nada a ver com os Hare Krishnas descobri depois.
O problema era que o presidente do templo era casado e também tinha uma historia de não poder beber álcool
Poxa eu não sabia que era tudo levado tão a serio e acabei o convencendo de que algumas (muitas) doses de whisky não iam matar ninguém, Krishna ia entender.
Não entendeu.
Nem a mulher dele quando ele foi falar que ia se separar e cortar o rabinho.
Acho que ele também não entendeu. Não era nada disso que eu queria só estava mais uma vez fazendo o que sempre fiz, me metendo em confusão sem medir as conseqüências.
Devia ter algum trecho no Bagavaghita que me redimisse desse “pecado”.Ate a Bíblia tem...
Hoje voltei ao templo, encontrei um devoto dos tempos do antigo templo do Leblon, felizmente ele não lembrava nada, seqüela só pode.
Disse até para o outro lá que tinha ficado de me dar à resposta que ele colocava a mão no fogo por mim e que eu era uma devota muito assídua.
Nunca fui devota de nada nem de ninguém, mas não contrariei.
Finalmente o cara que tinha ficado de me “aprovar” disse que eu teria que freqüentar mais tempo e ai então eles iriam resolver.
Fiquei irritada, mas não dei bandeira.
Como sempre fui uma pessoa de sorte bem na porta dei de cara com uma senhora com um sari bem bonito e cara séria que veio me perguntar se eu era amiga do Harí (o devoto desmemoriado)
Respondi que sim e ela me convidou para ficar os finais de semana no templo
Yes eu pensei na hora, imagina se eu me daria por vencida tão fácil.
Falei que infelizmente haviam me falado que para ficar lá eu teria que esperar um “tempo”, ela se indignou e disse que quem cuidava disso era ela, pegou meu telefone e falou que eu era bem vinda.
Eu tinha vencido
Infelizmente para eles minhas vontades não costumam durar muito tempo
Entrei feliz no meu carro ascendi um Marlboro e dei um longo trago de puro prazer.


Ps Tudo na vida é conhecimento salvei o telefone dela também, afinal posso mudar de idéia outra vez e quem não gosta de furar fila?

12 comentários:

  1. Ai Ana...Morri de rir...ótimo post...Continue assim! Bjos

    ResponderExcluir
  2. Constança T. Teixeira de Freitas16 de outubro de 2009 01:05

    A menina bela do cachorrão se esqueceu de contar: a energia no Templo é tãooooo tranquila..quase "parando" rsrs que quase dá uma sensação de "onda" anos 70.
    Sai todo mundo "doidão" sem usar drogas ou beber.
    Pode ser a comida..ou incenso..sei lá.
    E..como a bonitona gosta de ondas tranquilas.. aquilo está virando "Spa anti-estresse" de fim de semana!!O "baseado da Fé" kkkkkkkkkkkkkkkkk
    Ai..ai..os locais que vc me faz conhecer!!

    ResponderExcluir
  3. Vc faz tipo e gosta de fazer charme até para parar de fumar. Faça como eu, depois de mais de 20 anos fumando 1 maço e meio por dia, resolvi parar e parei de um dia para o outro, sem dramas.
    Beijoca

    ResponderExcluir
  4. hahahahahahah e ficar gorda que nem vc?
    Neeeeeeem morta
    Prefiro com a ajuda de Krishna kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Vc ia ficar bem de rabinho e cabeça raspada hahaha

    ResponderExcluir
  5. Ana, sou repórter da Revista Istoé e queria falar com você.
    Meu e-mail é waquino@istoe.com.br

    ResponderExcluir
  6. Mas eu tenho altura, sabe o que é isso? Dessa qualidade vc passou longe. kkkkkk Isso vai virar papo de depoimento de orkut? Pode parar, aqui ninguem tem direito a resposta n. Siga as regras e delete sua resposta e esse meu comentário. Atrevida e nanica. kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  7. De quem é o Blog?
    Meu!
    Então quem faz as regras?
    Duda ,desde quando você me viu seguir regras?
    rsrsrsrsrsrsrsrrs

    ResponderExcluir
  8. É, infelizmente vc tem toda razão. Toca pra frente....

    ResponderExcluir
  9. Oi Ana, tudo bem? Gostaria que você falasse da relação com sua filha Mariah. No livro, você conta que ela te procurou espontaneamente. Se ela não tivesse te procurado, talvez vocês duas jamais tivessem se reencontrado? Foi muito dificil sua readaptação a uma filha de 12 anos? Em alguns momentos ela sentiu falta da família que a criou (Marilza e seu avô?) Acho que com a Maria Julia foi mais fácil, né? Desculpa se tiver invadindo sua privacidade, mas é que a gente sempre quer saber mais sobre os personagens do livro que acabou de ler e eu fiquei curiosa sobre isso. Outra coisa: o que aconteceu com os 15 cães que você teve ao longo da vida? Chegou a recuperar algum deles depois de se recuperar? Ah, queria dar uma sugestão: A novela Viver a vida precisa de pessoas para darem seu depoimento no final de cada capítulo. Você pode dar seu depoimento e levar seu livro junto, para divulgar. É só entrar em contato com a globo, superfácil. Principalmente para vc que mora no Rio. Como a novela tem muitos capítulos, eles precisam de depoimentos com certa urgência, pois não é todo mundo que tem uma história emocionante feito a sua.
    PS: Também queria saber se você se casou de novo e se tem mais filhos alem da Maria Julia e da Mariah

    ResponderExcluir
  10. NO primeiro encontro houve uma certa estranheza,era engraçado olhar para ela tão grandona e saber que tinha saído de dentro de mim rs
    Nos encontros que vieram a seguir, dava para ver a cara dela de orgulho mostrando a mãe para as amigas, curiosa perguntava sobre tudo me olhava quase sem piscar, querendo descobrir quem eu era .Talvez através das roupas que eu usava ou pela forma que falava.
    Do meu lado, cada vez que ia encontrar com ela ficava uma hora na frente do espelho e com uma montanha de roupa em cima da cama
    Parecia encontro com namorado, aqueles em que achamos que nenhuma roupa fica boa e que não temos roupas rsrsrs.

    Não nos conhecíamos, não sabíamos nossos gostos e manias.
    Mas foi maravilhoso ir descobrindo tudo, e ainda é ate hoje.
    Ela veio morar comigo logo no primeiro mês.

    Mas foi na primeira briga quando ela deu uma resposta e bateu a porta que nos tornamos mãe e filha de verdade rs
    Fui atrás dela e disse que dentro de casa só quem batia porta era eu, uma bronca exatamente como as que sempre dei na Julia.
    Só quem ama da limites e depois quando fizemos as pazes, algumas horas depois do castigo choramos por todos os anos que não choramos juntas.
    Marilza e vovô moram do outro lado da rua e nos vemos sempre Mariah esta quase todos os dias com a Marilza, sempre vamos passar finais de semana na serra com eles.Nao houve afastamento ao contrario ficamos todos mais unidos e felizes.
    Meus cachorros foram se perdendo ao longo da vida, não da para sair completamente impune, algumas perdas são irreparáveis não tem com voltar atrás.
    Hoje tenho o Chico e três gatos
    Não me casei outra vez, mas namoro bastante rs.
    Não tive mais nenhum filho.Acho que já esta de bom tamanho
    Tem muitas coisas que quero fazer e um bebe definitivamente não está nos meus planos.

    ResponderExcluir
  11. Ana...além de ter uma história de vida que passa muito ensinamento, vc é uma gata!

    A IstoÉ já te achou...agora falta a Playboy!

    ResponderExcluir
  12. Tente esse livro aqui: O Método Fácil de Parar de Fumar, de Allen Carr.
    Pra mim e para outros milhoes de pessoas cumpriu o que prometeu!
    http://www.submarino.com.br/produto/1/1424576/metodo+facil+de+parar+de+fumar,+o
    E olha que eu era muito fissurada, em 15 anos de fumaça eu sò tinha conseguido ficar 48 horas sem fumar uma vez, e tinha muita vontade de parar.
    Hoje sou uma feliz nao-fumante e tenho certeza que nunca mais vou fumar na vida!!!
    E como reforço, imprime esse livro aqui: http://whyquit.com/NTAP_large_print_212_pages.pdf

    Te garanto, a unica coisa que vai depender da tua força de vontade é ir na livraria e ler o livro. Se voce der esses dois passos, existe uma grande chance que voce pare, sem fazer sacrificios. O que custa tentar???

    ResponderExcluir