Total de visualizações de página

domingo, 13 de setembro de 2009

Algumas ciosas sempre mudam ,já outras...


Meu irmão mais velho o Duda esta passando uma temporada aqui em casa, acabou de se separar e mais uma vez me vejo morando com ele, como em tantas outras vezes no passado.
Hoje é diferente meu irmão não usa mais nada e eu muito menos
O que sobrou dos tempos passados foram recordações, coisas que às vezes falamos rindo outras nos perguntando como tínhamos tanta coragem ou falta de juízo.
É ate engraçado de ver e talvez difícil de acreditar também
Meu pai, por exemplo, que antes ligava uma vez na semana e eu já achava muito, agora liga vinte vezes por dia em um surto de paternidade que tem me cansado um pouco (isso p não dizer que estou de saco cheio).
Minha relação com meu pai ficou aceitável depois de tudo. Claro ele teve um ataque logo depois do lançamento do livro, se defendeu, disse que não era bem assim e se justificou.
Mas depois acalmou.
Eu me limitei a falar que não era pessoal, era apenas a minha visão, mas que poderíamos reinventar nossa relação.
Ok seguimos tentando, às vezes conseguimos outras vezes continuamos tentando rs.
Acho que deve ser difícil ainda hoje para ele aceitar que eu e meu irmão podemos conviver sem aprontar nada, sem tomar um grande porre ou sem que a policia venha bater na nossa casa ou pior na casa dele rsrsrs.
Como já diz o ditado: Minutos para fazer uma vida inteira para se arrepender...
Meu irmão predileto sempre foi o Duda, irmão mais velho teoricamente uma referência.
Mas infelizmente as referências masculinas que tive na vida não foram as melhores (pessoas são só pessoas e tem defeitos) ainda acredito que sempre tentam o seu melhor, se vão conseguir é outra coisa.
Mas o que vale é a intenção rs deveria ser
Quando o livro ficou pronto tinha 800 paginas, impossível publicar uma bíblia dessas, então muitas historias foram deixadas de fora.Algumas por que eram irrelevantes, outras repetitivas (admito que a vida de quem se droga não é criativa) e outras porque era mais “prudente” deixar de fora.
Não era novidade para mim que eu fui o “bode expiatório” tudo bem todo mundo tem que ter alguém para jogar a culpa e como eu já tinha tantas não fazia mesmo muita diferença que uns e outros jogassem também as suas em mim
Mas ouvindo algumas peripécias familiares hoje me indignei, achei um abuso saber que essa família já era tão desestruturada mesmo antes das minhas “aprontações”.No livro falo muito da família da minha mãe, mas vi o quanto à família paterna também era cercada por loucuras.
Como minha impulsividade já esta mais controlada para algumas coisas evidentemente rsrsrs. Ouvi, pensei ri um pouco, lamentei e depois agradeci. Podia ter sido pior, podia ter sido muito pior.
Falamos sobre as escolhas e as conseqüências dos caminhos que tomamos.
Claro, é fácil falar depois que já sabemos no que deu e por mais que minha imaginação seja fértil e que eu possa traçar milhares de finais diferentes para tudo.
Fico com o final que tenho hoje
Tudo que fiz e que vivi das piores as melhores coisas fizeram de mim quem sou hoje e para minha surpresa ou espanto de muitos, gosto de quem sou.Gosto de cada defeito (tenho os meus prediletos que não abro mão rs) gosto das minhas qualidades e gosto de saber que ainda não estou pronta.
A vida continua me surpreendendo
É bom poder estar com o Duda hoje aqui construindo mais lembranças.
Ensinar posturas de yoga, brincar de helicóptero de controle remoto, discutir por que ele rouba meus isqueiros, dar susto um no outro, brigar por que ninguém quer atender o telefone (sabemos que é o papai) e principalmente continuarmos vivos depois de tudo e com tanto bom humor.
Eu não tenho a família que escolhi, mas escolho as pessoas da família que quero conviver.
Escolho tudo hoje até mesmo os riscos que podem vir desabando como "neve"


Ps Adoro risco e isso nunca vai mudar

2 comentários:

  1. Constança T. Teixeira de Freitas16 de setembro de 2009 01:28

    O "cafofo do Osama Bin Laden" pode melhorar..
    Afinal é bom mesmo ter irmão por perto. Utilidades como Bom-Bril: faz de "um tudo" rsrsr dirige, acompanha se quiser sair, fala no telefone, atende pessoas, corre atrás, joga e bem..é divertido, engraçado e boa pessoa...O que mais vc queria??
    Libera uma mesada...kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    bjus, bjus, bjus

    ResponderExcluir
  2. Poxa Ana.O livro original tinha 800 páginas???? Que quero ele...pleasseeeee!!! Quando seu livro ia chegando no final eu sofria porque amei lÊ-lo!!!

    Repensa em fazer uma nova edição com as 800 páginas e mais fotos!!! Eu prometo que compro o 1o!!
    :)
    Abraço,
    LEILA

    ResponderExcluir