Total de visualizações de página

sábado, 14 de novembro de 2009

TPM ou inferno astral fora de hora?


Essa semana já prometia, depois dessa maldita matéria em pleno domingo.
Claro que não seria uma semana fácil, mas como sou otimista...
Já tinham três dias que a bomba aqui de casa tinha explodido (a outra bomba a da água)
Coisa de casa, sempre uma coisa resolve dar defeito quando você está dando defeito também.
Tudo bem.
Sai de casa, não liguei a bomba, mas liguei o foda-se.
Nessa sexta, acordei resolvida que já estava de bom tamanho.
Gritei o Ronaaaaaaaaaldo que gritou o homem da obra ao lado, que me disse quanto eu teria que gastar para concertar a bomba e eu... Gritei.
Gritei, mas paguei não ia ficar sem água quente e me parece que tem algumas pessoas que não dão a menor bola para os meus gritos. Tipo esses que vem concertar alguma coisa.
Continuam me olhando com cara de paisagem e no fim acabo fazendo o que tem de ser feito ou o que eles me dizem que tem de ser feito
Bom, bomba resolvida fui dar uma volta no shopping, ia almoçar com a Mariah que também resolveu dar defeito (felizmente mais barato que a bomba) e fomos comer minha batata frita predileta lotada de cheddar.
Mariah parou de dar defeito, mas aí foi a vez da batata.
Um cheddar amarelo.
Sou comedora compulsiva dessa batata, como quase todos os dias e sei a cor do queijo.
Provei, afinal podia ser só a interferência do inicio da semana ou meu dia.
Não era.
Chamei a gerente que gentilmente me explicou que o fornecedor não tinha chegado e blá blá bla.
Jurou que não ia ficar assim para sempre.
Tudo bem...
A bomba a batata, mas ainda tinha o dia pela frente.
Resolvi ir ao salão (odeio salão) eu devia saber que não era uma boa idéia.
Resolvi fazer uma massagem, afinal tudo que ando passando vai direto para meu trapézio.
Adivinhem?
O óleo da massagista tinha acabado
Tudo bem...
Respirei fundo, eu queria muito a massagem e pedi para o Ronaaaaaldo pegar em casa.Tenho vários que trouxe de Bali, sorte a minha.
Fiquei fumando cigarro “S” no calor de 150 graus, claro do lado de fora do salão enquanto esperava.
Tive momentos ótimos durante a espera e o cigarro, mas isso não vem ao caso.
Chegado o tal óleo fui para a sala, tirei a roupa e deitei na maca.
Ops
Não era maca de massagem e sim de depilação, ou seja, não tinha como ficar com o pescoço reto.
Tentei relevar afinal era um salão e não um SPA. Alem disso a moça tinha cara de que sabia o que ia fazer.
Sabia mesmo
Por 45 minutos tive momentos mágicos, olhos fechados o perfume me levou a Bali.
Claro se não fosse o podólogo e sua cliente tagarela na sala ao lado teria sido perfeito
Completamente besuntada de óleo fui lavar a cabeça e já que estava no inferno (já disse odeio salão) fui fazer a unha também
Não gosto de fazer a unha, então para não demorar não tiro cutiluca.
Pronto por que fui falar isso para a manicure?
Mas tem que tirar
Não tenho
Mas não vai ficar bom
Vai sim
Má vontade instalada, enquanto tirava o antigo esmalte quase quebrava minha unha.
Na hora em que dei a segunda mão para ela...
Um grito histérico.
Fiquei parada olhando e esperando ela acabar o grito agudo para depois perguntar o motivo
O motivo?
A cobra.
Tenho um anel de cobra que amo, ela pelo visto não gostou.
Me pediu para virar o anel para o outro lado e eu pedi para ela não fazer mais minha unha.
Fui para casa com uma mão feita e a outra não
Depois disso tudo tive alguns outros problemas alguns com e-mail outros com telefonemas no meio da noite
265 gotas de rivotril deveriam ser o bastante para fazerem apagar o dia e me apagar também.
Como não sou boba nem nada, hoje não coloquei o pé na rua, fiquei por aqui inventando coisas para trocar de lugar.
Mesmo assim não foi um dia fácil, mas prefiro não falar sobre isso.
Deitada no sofá da varanda enquanto escrevia esse texto ao som de Chaplin no piano, consegui finalmente rir.

Mais uma vez fui otimista e fui buscar o lado bom das coisas
A bomba (da água pelo menos) está resolvida
O cheddar não vai ficar assim para sempre (a gerente jurou)
Deve ser bom para a unha ficar uns dias sem esmalte (alguém me disse isso)
A cobra, era de brilhante.
Bom para terminar graças a Deus tenho bom gosto musical, afinal eu podia estar ouvindo Funk em vez de Chaplin no piano o que tornaria esse texto bastante diferente.




Ps Algumas outras coisas não se resolveram, mas lí que o rio encontra o mar.
Ou não...

3 comentários:

  1. Constança T. Teixeira de Freitas15 de novembro de 2009 00:54

    Pelo menos a "cobra" no anel...era de BRILHANTES!!
    Glória a Deus..e tinha o dedo para estar nele..rsrrsrsr

    ResponderExcluir
  2. E pelo menos você tinha um Ronaldo pra te socorrer!

    ResponderExcluir
  3. Acho que vc aos poucos tem se mostrado mais madura. Aceitou as interpéries de bom grado.

    ResponderExcluir