Total de visualizações de página

quarta-feira, 5 de maio de 2010

19:30hs


Esses dias Constança me chamou para a troca de ficha dela no NA, 24 anos sem beber uma única gota de álcool (imagina a sede rs) ou usar qualquer outra droga.
Falei que iria e esperei que ela esquecesse o assunto.
Não esqueceu.
Me ligou na data marcada perguntando se eu ia querer carona ou estava com o Ronaldo
Disse que era folga do Ronaldo, mas que ia dar um jeito
Na verdade fiquei pensando em um jeito de dar uma boa desculpa, mas nenhuma boa desculpa é boa o bastante para ela rsrsrs nunca.
Lembrei do dia em que falei para o meu pai e para o Xu que não iria mais as reuniões e do alívio que senti
Durante muito tempo às 19:30hs eu ainda me lembrava que era hora da reunião, aos poucos fui parando de lembrar
Fiquei me perguntando por que a idéia de ir a uma reunião estava me causando tanto desconforto e não foi difícil responder
Não foi fácil cortar um habito tão antigo, não foi fácil dar os primeiros passos sem as pessoas com quem eu tinha vivido por tantos anos e não foi fácil me sentir livre das regras que para mim, pareciam uma condenação eterna.
Mas afinal são 24 anos e sei quantas vezes ela deve ter pensado em jogar tudo para o alto, talvez esse tenha sido um dos anos mais difíceis tirando o primeiro quando tudo é tão novo e assustador.
Brinquei varias vezes falando que ela podia fumar maconha já que é recomendado para aliviar o enjôo da quimioterapia (brincava só brincava) e que ela nem estaria “recaída” estaria receitada rs
Mas ela ficou lá, firme.
Fiquei em um dialogo interminável comigo, tentando ver todas as possibilidades
Algum chato vai sentar ao meu lado e perguntar se estou “limpa”
Tudo bem eu mando a merda
Algum outro chato vai perguntar se voltei
Tudo bem eu respondo que estou passeando
E se acharem que estou dando o braço a torcer?
Oi?
Mas que diferença isso tudo faz?
Não faz nenhuma
Mas a Constança faz diferença na minha vida, mesmo quando tenho vontade de apertar o pescoço dela (não sou poucas essas vezes)
Resolvi ir
Fui chegando perto do prédio, meu coração começou a disparar.
Comprimentei o porteiro (não era o mesmo dos meus tempos) e o dedo foi automaticamente.
Segundo andar
O mesmo caminho que fiz por tantos anos, ia chegando perto da sala e meu coração batendo cada vez mais forte (só me faltava infartar e morrer lá, eu não me perdoaria nunca por isso rs)
Não sei explicar direito o que senti vendo tantos rostos familiares e lembrando a importância de cada um deles na minha vida
Bom, posso falar nomes por que não existe só um José no mundo então não da processo, me certifiquei disso na época do livro rs
Vi o Gui (vi quem estava ao lado do Gui rsrsrssr, vi bem) lembrei dos famosos patês de foie gra que ele faz
Vi o João, meu primeiro namorado na minha primeira internação (o primeiro de muitos corações que eu parti lá dentro rs)
A Leonor e o Marco Antônio (não da para falar o nome de um sem complementar com o do outro) é assim que me lembro deles, sempre juntos
Como me ajudaram, tiveram tanta paciência...
Leonor sempre amorosa, mas durona ficou com a Julia uma noite quando tive que resgatar um “namorado” desviado
Marco que sempre levou tão a sério e como brigava comigo quando eu tentava (conseguia) tumultuar as reuniões administrativas
A emoção dos dois sempre
Adriana, que me levou para uma clinica em que não fui aceita uma vez rs
Paulinho que tive um namoro rápido (com ele e com o irmão, mas não ao mesmo tempo rs)
Vi o estrago que as drogas fizeram na aparência de algumas pessoas que provavelmente ainda não conseguiram, mas que continuam tentando.
Vi a Leila minha prima querida
A margarida que azarava o Xu na minha cara, mas eu não me dava ao trabalho rs ela não era páreo nunca foi
Fiquei indignada depois que falei com ela, já que tinha esquecido que estava brigada, droga rs
As pessoas falavam e eu nem conseguia ouvir bem, só conseguia ouvir minhas lembranças
Nossa eu era uma menina, meu pai tinha me colocado para fora de casa e a condição para voltar era ir ao NA
Cheguei com um urso de pelúcia e fiquei sentada na janela, deixando os mais rígidos indignados com a minha falta de respeito
Já levei cachorro para a reunião, claro que isso não é permitido e claro que eu sabia disso
Levei mesmo assim.
Vi o Evandro que sempre esteve lá, desde a primeira vez que cheguei. Sempre me olhando com olhar de reprovação mas também amoroso cada vez que meu celular tocava(tem um aviso pedindo para desligar ,eu nunca desliguei)ou que eu falava no meio das partilhas
Quantas coisas vivi ali dentro...
Eu tinha só 18 anos e fiquei por muito tempo
Minhas filhas nasceram lá.
Minha mãe morreu
Chorei com aquelas pessoas, também comemorei
Senti falta das pessoas que não estavam mais, não estavam mais nesse mundo, mas que me ajudaram a continuar.
Finalmente o coração foi voltando ao ritmo normal ufa, eu não ia morrer ali dentro rs e então consegui prestar atenção no que as pessoas falavam
Me emocionei ouvindo a Constança falar
Torci por um menino que acabava de chegar
E fui percebendo como minha vida havia mudado como eu mudei.
Hoje a droga não é um problema nem um fantasma na minha vida, não tenho uma luta diária a ser travada contra ela
O tempo passou, eu não sou mais a menina sentada na janela com o urso de pelúcia
Me transformei em uma mulher, cheia de bagagem, mãe (ainda não consigo ser filha) com muitas manias e poucos limites
Me transformei em uma pessoa livre, livre até para cometer erros
Mas definitivamente, não tenho problemas com drogas
Desde a primeira matéria que saiu falando sobre o livro e tive as palavras um pouco distorcidas, que tomo muito cuidado cada vez que falo sobre NA, seja em uma entrevista qualquer ou com as muitas mães que me pedem alguma ajuda


Sempre deixo claro que não levanto bandeiras e que não faço parte do NA
Sentada naquela sala, vi que realmente não faço mais parte
Não por que não uso ou por que resolvi que não voltaria a uma reunião
Não faço parte porque não estou ali participando das dores e alegrias de cada uma daquelas pessoas
E de qualquer forma é bom saber que sempre terei um lugar para correr, mesmo que hoje eu não precise mais correr
Mas o mais importante, foi que descobri que algumas pessoas e a sala no segundo andar do prédio da igreja, vão fazer parte da minha vida para sempre
Essa é a minha historia
Aprendi com cada um dos rostos que revi a ter respeito pela minha historia.
É só uma parte dela claro, mas uma parte que fez muita diferença
Voltei a lembrar que ás 19:30hs um grupo de pessoas esta reunido tentando e conseguindo o mesmo objetivo
Largar as drogas e levar uma vida nova na sociedade
E cada uma dessas pessoas vai ter sempre o meu respeito e admiração, porque não desistiram da vida
E de alguma forma isso ainda me mantém ligada a elas,
Cada um escolhe seu caminho, suas alternativas e é isso
Sentada aqui escrevendo, olhei em volta e me senti tão agradecida
Agradecida as pessoas que não me deixaram desistir, as pessoas que não me deixaram morrer, mesmo quando isso parecia inevitável
Agradecida pela vida que levo, pelas conquistas que fiz e principalmente por viver
Viver cada dia e continuar sentindo tanta vontade de viver mais e mais todos os dias


Ps Eu confesso ,sempre me mantive a par das fofocas ,quem tem informante tem tudo rs

15 comentários:

  1. me fizeste chorar lendo este texto ana...
    esta força de vontade que tu tens e este exemplo de vida e esperança é que faz muitas pessoas a seguirem em frente. beijos! fica com Deus

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Mariana ,seja sempre muito bem vinda
    Bjuus

    ResponderExcluir
  3. Agora foi você que me fez chorar também rs
    Que bom que você se sente grata por tudo, acho que agradecer pela vida é o passo mais importante em direção a uma vida feliz. E você não está mais caminhando em direção a algum lugar. Você já chegou.
    Agora vê se para de escrever esses posts porque preciso me concentrar aqui no meu trabalho rs

    bjs bjs

    ResponderExcluir
  4. Agora foi você que me fez chorar também rs
    Que bom que você se sente grata pela vida, acho que esse é o primeiro passo para uma vida feliz. E você não está mais caminhando em direção a alguma coisa. Você já chegou.
    Agora vê se pára de escrever esses posts, preciso me concentrar aqui no meu trabalho rs

    bjs

    ResponderExcluir
  5. Constanca T.Teixeira de Freitas9 de maio de 2010 00:57

    Ahhhh lindinha querida
    Nem imagina como me fez contente te vendo alí sentadinha com cara de quem "prestava atençao".
    Claro que fiquei preocupada com seu Glamour e sabe, né?? Um adicto ADORA outro adicto. rsrsrrs
    Azaraçao pura..e carencia.
    Mas desta vez foi diferente; vc comportadinha, sem se levantar da sala 32 vezes, sem o telefone tocando e incomodando naquele vai e vem..e pasme acho que senti uma certa emoçao linda escorrendo dos seus olhos verdes.
    Eu te agradeço por ter vindo..queria vc lá pq foi o ano mais difícil da minha vida e sim, nao bebi nem me droguei..ainda que bem que passou pela minha cabeça em dias loucos de quimioterapia que poderia no mínimo "tomar um porre"para aliviar a dor, dor emocional vc sabe.
    E por isso queria vc ao lado..pq sofreu comigo quase que diariamente, foi ao INCA, fez "barraco"na FioCruz, passou pela horrivel "triagem"em que as duas tropegas de sono nao conseguiamos nem brigar por sono e medo.
    Queria vc lá junto pq assistiu os cabelos caindo e me ajudou com seu humor.
    Queria vc lá pq mandava o Ronaldinho me buscar, eu quase sem forças de respirar, tao fraquinha, só para deitar em seu sofá da sala de tv e ficar alí pertinho.
    Queria vc lá para te agradecer por existir, por nao ter me abandonado, por me trazer riso, alegria, levar a praia p/tirar a "inhaca" da quimio, etc
    Queria vc lá para te mostrar que nao importa o que nos aconteça, beber e nos drogar nao modifica as circunstancias e que é possivel atravessar um inferno de cara limpa.
    Por tudo isso e muito mais, queria vc alí.
    Foi muito bom escutar as pessoas comentando sua presença, me deu prazer ver o carinho que te receberam e mostraram; e isso serve para te lembrar que nunca, nunca voce estará sozinha mesmo se eu nao estiver mais por aqui.
    Nao sabia do coraçao disparado..mas vamos combinar que ele dispara facilmente rsrsrsr
    Eu também sou grata. Sou grata a eles que salvaram minha vida, cada pessoa ainda que muitas vezes desconhecida como aquele rapaz de 5 dias me faz torcer pela vida e lembrar que sozinhos nao somos nada. "Só eu posso, mas nao posso sozinho"lembra?
    E.."Eu segura minha mao na sua..eu uno meu coraçao ao seu..para que juntos possamos fazer o que nao posso fazer sozinha"..
    Obrigada por ter vindo.
    Foi taoooooooo bom te ver ali!
    Trouxe sim alegria ao meu coraçao, esperança de viver mais e receber a de 25 anos, a sensaçao de apoio, compreençao sua e dos companheiros e senti uma onda de amor que invadia minha vida.
    Mostrar quem sou, poder falar dos meus sentimentos abertamente e sem censura, faz toda a diferença.
    É..eu nao estou sozinha!
    Bjus lindinha rebelde..ainda vou te rever outras vezes por ali ainda que essa sua fase tenha passado graças a Deus, aquilo alí sempre será um refúgio amoroso e acolhedor, como vc!
    Obrigada por ter vindo..por sempre ter estado perto de mim.

    ResponderExcluir
  6. Eu vou ser suscinto. Vcs duas estão de parabéns, são duas grandes vencedoras. Melhor que estar no alto de um podium. Lá vc divide com mais 2 pessoas. Ai não, vcs são únicas. Uma beijoca para cada uma (para não ter briga)
    Adoro vcs...

    ResponderExcluir
  7. Nossa! Você escreve muito mal! Como pôde publicar um livro? Além de escrever mal fala muita merda, tenta convencer os outros de que é o máximo, ou que se acha o máximo, mas acho que no fundo você sabe o quanto é medíocre... uma patricinha tola e vazia.

    ResponderExcluir
  8. As pessoas que seguem ou acompanham o Blog sabem que tenho moderação de comentários
    Não para filtrar o que escrevem, mas para não perder nada do que as pessoas escrevem,é legal ver comentários, identificações, apoio e mesmo criticas
    Assim que vi o comentário do “anônimo”, nem pensei duas vezes, aceitei.
    Não tenho a pretensão de agradar a todos (na verdade não tenho a pretensão de agradar a ninguém) apenas escrevo o que sinto e ponto
    Então “anônimo” não me acho o maximo, estou bem distante disso, mas pode acreditar que todos os dias tento ao maximo ser melhor e é isso que faz a diferença
    Claro sem falar no fato de que não tenho medo de me expor nem de mostrar quem eu sou com meus erros e acertos
    Meu nome é Ana Karina e tenho orgulho de ser a Ana Karina
    Bem melhor do que ser apenas...
    Anônimo
    Seja sempre muito bem vindo
    Ps Quem sabe um dia com um pouco mais de coragem para ser quem você é rs

    ResponderExcluir
  9. Ana, uma pessoa dessas nunca poderia se expor, sabe pq? Estaria num ambiente bem diferente do que ela está acostumada a vegetar. Seria um peixe fora d'agua. Gente assim é invejosa, covarde, n mostra a cara. Quem sabe agora se enche de brios, toma coragem e aparece? Duvido...
    Beijocas

    ResponderExcluir
  10. Luciana Fernandes13 de maio de 2010 06:51

    Conheci a sua história através da minha mãe, que te conheceu durante um final de semana, curiosamente o final de semana em que saiu a reportagem do livro no jornal o Globo. Minha mãe ficou encantada com você, apesar de vocês serem totalmente diferentes, são tão iguais! Talvez por isso ela falava tanto de vc. Já li seu livro umas 3 vezes. Já dei ele de presente para muitas pessoas, já recomendei que comprassem... até pedi para um primo do meu pai, que trabalha na Editora Ediouro, me desse alguns livros... Mesmo depois de eu ter comprado! E ele me deu uns 15! Rsrs Simplesmente porque adoro a sua história, adoro a sua garra, a sua vontade de viver! É nisso que você e minha mãe tanto se parecem, mesmo com uma história de vida tão diferente. Sou Luciana, tenho 24 anos e nunca me droguei. Não acho que isso seja ou deixe de ser um orgulho. É apenas uma escolha de viver, escolha que fiz pela educação que tive e também por que quis. Infelizmente nem todos tem a sorte de vir ao mundo com uma mãe como a minha (e como a das suas filhas). A sua história me impressiona, não pelo uso das drogas e pela "vida vivida a doidado", e sim pelo o que você é. Pelo o que você tem (não de matéria, mas de alma). Descobri o blog há pouco tempo e sua vida continua impressionando e emocionando. Esse relato e o comentário da Constança é lição de vida, é superação. Não é só vontade de viver, é vontade de viver feliz e bem consigo mesma, não importa como! Muitas pessoas julgam pelo "usou/usa drogas"... a sua vida é muito além disso... Parabéns, Ana Karina! =)

    ResponderExcluir
  11. Oi meninas,
    Tb me deu saudades ...
    Não tem preço essa vida com identidade própria!
    Parabéns Constança!
    bjs,
    Andréa

    ResponderExcluir
  12. Titia Aninha adoreii seu blog, ta mara, parabéénssss !Aliás, adoro os textos que você escreve hahah!BEIJOS ISAA

    ResponderExcluir
  13. Nossa, mais uma vez to aqui chorando... no teu blog né Ana Karina, rsrsrs cara, tem exatos 8 anos, dos 19 que estou limpa, que não coloco meus pés numa "sala", e sinceramente, conforme vc foi narrando, a sensação que rolou era de que assim como foi com vc, seria comigo... cara, até o coração disparou junto... rs Nossa... senti uma puta saudade do meu padrinho, o Thales... senti saudade de tanta gente... Eu lembro as vezes em que fui nesse grupo do segundo andar, e vi vc, lindaaaaaaa e eu diria hiperativa como o meu caçula o Ben Hur, é, porque ele não consegue sentar nem em sala de aula rsrsrs Nossa, Ana, eu também deixei de ir ás reuniões e não senti falta, mesmo porque logo depois eu me converti ao cristianismo e a igreja ( que somos nós, pessoas ), reunida, tomou este espaço... mas o que me liga ainda à NA é um sentimento inato de gratidão, de compreender que tudo, tudo mesmo, começou alí, que esse Deus que hoje eu sirvo, me resgatou quando me colocou naquelas salas... que sem aquelas pessoas, eu jamais estaria onde estou hoje, que só eu podia, mas não podia sozinha... E Ele, Deus, ainda era "algo" inascessível para mim... eu nunca, teria a compreenssão naquela época, que tenho hoje, do quanto Jesus está ao meu lado... tão ao meu lado que as vezes chego senti-Lo... amém... Amei tudo que vc escreveu, senti aquela boa e aconchegante empatia... fiquei grata de ter mais uma vez ter vindo aqui te ler... E olha, "essa anônima" aí rsrsr ah porque é mulher né amada, ÍNVEJA é coisa de mulher, coitada, rsrs ela se colocou assim "anônima" porque é BURRAAAAAAA nossaaaa, mediocridade é fazer o comentário que ela fez, ela é que nem sabe o que é ser medíocre rsrsrs rsrsrs e olha isso é pessoal hein, rsrsrs Sabe, Ana, outro dia eu falei de vc pro meu irmão que é designer, e nem lembro porque falei seu sobrenome todo, acho que foi por causa do Trotta, não lembro, enfim ele me perguntou se vc era uma princesa rsrsrs com este sobrenome, e eu disse que sim, porque vc era linda e loira, e inteligente, e rica rsrsrsrs mas então falei, cara, essa mina, é dauquele tipo de gente, que faz o nome ficar forte ANA KARINA e aí, o sobrenome tanto faz... li isso uma vez, que o Artur da Távola escreveu sobre a Maisa, que um dia foi Matarazo rsrs Isso aí amiga, vc ta longe de ser uma patricinha tola e vazia, to saindo daqui preenchidaaaaaaaaaa rsrsrsrs e quer saber o que mais, eu te acho igual ao meu caçula, o MÀXIMO !!! bjoooooooo Deus permaneça te abençoando SEMPRE !!!

    ResponderExcluir
  14. Oi Ana, me emocionei com o que li aqui hoje.
    Eu tinha uma visão distorcida da sua relação com NA, e cheguei a ter raiva das coisas que um dia você disse sobre a irmandade. Mas resolvi quebrar o gelo e entrar aqui no seu blog e te confesso, chorei com o que li. Principalmente em saber que você não fechou as portas de NA e que a gratidão por tudo que viveu com aquelas pessoas ainda vive dentro de ti.
    Te desejo muita felicidade e me perdoo por ter te pré julgado.

    Um abraço carinhoso
    Toda sorte do mundo lindinha!

    Darléa Zacharias

    ResponderExcluir
  15. quando vc conhece alguem que ja passou por isso, não se conhece a fundo, quando uma pessoa da familia ja passou por isso, o buraco é bem embaixo, lagrimas escorreram, lembranças vieram a minha mente, mas só agradeço pelo deu depoimento, pois me fez lembrar que tudo fico num passado e que só o presente eu posso mudar, e que o futuro esta nas minhas mãos, mas so eu posso modificar ele, e por isso que tenho fé que cada um escreve sua historia. É o que sempre falo para minha mae, só ela pode mudar o futuro dela, eu não posso fazer isso. Nem todo mundo precisa ficar no NA, eternamente, na epoca minha mae era radical ia todos os dias, mas ao longo ela foi tambem se distanciando, e buscando outros caminhos, mas tem gente que precisa, é quase como o efeito do vicio. Minha visao pode ser ate distorcida em relação a isso mas é a minha opinião, as vezes vejo que as pessoas trocaram um vicio x pelo y. Sendo assim te dou os Parabéns por ter conseguido escolher o que é melhor para voce. bjs JB

    ResponderExcluir